Pular para o conteúdo principal

A Verdadeira Evangelização

Lc 4.18-19; I Co 9.16; Mt 935-38; II Tm 1.10 e Atos 16.31


INTRODUÇÃO

Com muita alegria e gratidão a Deus, faço a introdução deste livreto com a Parábola dos Dois Sitiantes. É uma analogia que se faz sobre o campo onde se semeia o evangelho, semente que produz alimento para o sustento espiritual e faz brotar a vida eterna; e o campo onde se planta o cereal para o sustento natural. Quanto mais a igreja semeia na dinâmica do Espírito Santo, mais abundante é a colheita de almas. Com as memórias deste campo fértil, queremos realçar o valor de quem “lança mão do arado e não olha para trás”(Lc 9.62). A igreja não é chamada para “observar o vento, e nem olhar para as nuvens” (Ec 11.4), mas para sulcar a terra, prepará-la, e lançar a semente, porque Deus já prepara a chuva de bênção. Minha alma jubilosa glorifica a Deus pela vida desta igreja missionária e pela conquista da vitória resgatando os que estavam na rota do inferno cujos pés caminham agora, na direção do céu. Aleluia. Vejo na pujança desta igreja e da liderança, a bandeira do evangelho tremulando com o sopro do Espírito, no topo do mastro. Não temais, senão a Deus; não resistais, senão ao Diabo e es estareis incomodando o chefe do inferno e resgatando as almas aprisionadas por ele.


Nomeio as ações de uma que deseja ser missionária:

                                    Oração e jejum

                                         Cmunhão,

                                              Doutrina,

                                                   Disciplina e

                                                        Evangelização


Como desejaria que a distância não fosse apenas geográfica! Seria muito vantajoso sabatinar as nossas igrejas para avaliar essas práticas. Entretanto, devemos estar atentos ao cumprimento da missão. do contrário, a nossa mente mente cristã estaria sob o cautério divino (ferro quente). faço um alerta. Sente-se que a igreja usa tempo demasiado com atividades intramuros. Jesus usou 50.3% do seu tempo além do templo e 49.7% do seu tempo com os discípulos e as autoridades. “ É preciso deixar o altar florido e perfumado, a liturgia esmerada, as festas e os elogios para estar junto ao sofredor. Que importa se suas roupas se rasgam e mancham!” (Rabindranath Tagore). É preciso estar ao lado de quem tem o hálito do inferno a fim de levá-lo a experimentar o perfume da graça. Tirá-lo da rota do inferno levando-o a iniciar a rota da eternidade com Jesus Cristo.


I- EVANGELIZAÇÃO INTEGRAL

O evangelho é para todo o homem e para todos os homens. A evangelização tem como destinatário o homem na totalidade do seu ser: “espírito, alma e corpo”(1 Ts 5.23), histórico e eterno. O evangelho não pode ser reduzido a uma só dimensão Não se deve fragmentar o homem criado “à semelhança de Deus”. Não se deve aceitar o conceito de evangelizar somente para “salvar as almas” e buscar exclusivamente uma mudança de “status” eterno do indivíduo. tampouco se deve reduzir o evangelho a um simples programa ou instrumento sócio/cultural/político.


II- EVANGELIZAÇÃO BÍBLICA

Jo 5.39; At 2.22-42; 10.34-44; I Co 15.1-4; Ef 1.9,10; Cl 1.15-23; Ef 4.1.12-16 e Fl 3.12-15.

A verdadeira evangelização é bíblica. sua mensagem é: a proclamação (kerigma) consagrada pelo novo testamento, tendo como fundamento Jesus Cristo, seu ponto central é um chamado ao arrependimento (metanoia), à conversão e a inserção na comunidade de fé. Seu objetivo final é o reino de Deus, Apaz bíblica (shalom), a reconciliação de todos os homens por meio de Jesus Cristo, que é Senhor de tudo ou não é Senhor de nada. Ela não faz concessão ao seu discipulado. Entrementes, a evangelização é um processo permanente no qual somos transformados uma e outra vez, a Deus e ao próximo sendo uma porta aberta para a renovação, reconciliação, crescimento e busca de maturidade cristã.


III- EVANGELIZAÇÃO É PROCLAMAÇÃO

 de boas novas libertadoras. Evangelizar é compartilhar uma boa notícia. Não é impor a alguém um pacote doutrinário, teológico, filosófico, litúrgico, ético e  humanista.


IV- A EVANGELIZAÇÃO É ENCARNADA - RHEMA

Há uma dose forte de paixão na evangelização encarnada (rhema), e não apenas (logos). É a proclamação em palavras e atos. Nota-se que há excesso de verbo em tudo que se faz. “Deus fez um discurso vivo através Jesus Cristo” (J. Durrandeaux. Muitas vezes prega-se, hoje, um evangelho social, cultural e humanista. Descarta-se o poder do Espírito Santo, do sangue de Cristo e da cruz. O evangelho é eterno, porém, compatível com o que é temporal e histórico. Não se quer dizer que as situações históricas se tornam parte do conteúdo do evangelho. Por conseguinte, a evangelização tem de estar inserida na experiência total do homem que responde por sua existência, que não é  apenas o destinatário, senão também o ingrediente da evangelização.


V- EVANGELIZAÇÃO CONSCIENTIZADANÃO

 Basta a igreja ter visão panorâmica do mundo e da desgraça em que vive o pecador. Entretanto, é preciso ter a consciência de toda a situação de perda da imagem e semelhança de Deus. Deve-se levá-lo a conhecer e abandonar tudo aquilo que o impede de ser livre. Refutamos toda a evangelização que tem como base uma atitude de fuga da vida, alienante da realidade e irresponsável perante a sociedade. Gn 4.9; Fl 3.3-15; Lc 19.1-10; Mt 10.16 e Jo 3.1-9.

              

 VI- PRIORIDADE DA EVANGELIZAÇÃO

1-A evangelização não é opcional, mas imperativa: “Ide e fazei”.  São dois verbos dinâmicos. A evangelização é essencial à vida da igreja.É uma tarefa prioritária. Ou se evangeliza e vive ou não se evangeliza e morre. O fruto da evangelização é a santificação do corpo de Cristo na terra e dela depende a sobrevivência da igreja.

2-O evangelho não é uma propriedade. Não é uma mordomia. Nada poderá tirar-nos este privilégio e nem nos livrar desta responsabilidade (Rm 1.11-16); “ não foi, não é e jamais será elixir de bem-estar social” ( V. Steuernagel). A tarefa evangelizadora não é um negócio e nem muito cômoda. É um serviço que os anjos gostariam de executar, mas é uma incumbência dada ao  homem, “porque nós não estamos  como tantos outros mercadejando a palavra de Deus” (2 Co 2.17).


VII- TAREFA PERMANENTE.

A evangelização é uma tarefa permanente. nenhuma situação nos fará romper com o compromisso de evangelizar a tempo e fora de tempo. evangelizar não é tarefa opcional. é uma ordem dada por Jesus Cristo. Ele tem autoridade para fazer isso (Mc 16.14-18).


VIII- OS MEIOS PARA A EVANGELIZAÇÃO

1-A evangelização passa pela exigência daquele que é chamado , clérigo ou leigo chamado a testemunhar. É o mártir que põe sua vida onde está sua palavra em nome de Jesus Cristo. A igreja é o meio de comunicação do evangelho ou não é igreja. Tudo quanto ela faz tem uma dimensão missiótica: liturgia, pregação, ensino, vida comunitária, serviços prestados à comunidade secular (Atos 2.42; 6.8; 2.32; 3.15; 10.39-44; II Tm 1.8-14). 

Pregar é viver: para pregar o evangelho é preciso vivê-lo integralmente em conversão pessoal e coletiva. É preciso que haja sinais na igreja. Os sinais credenciam a igreja a fim de que seja um referencial para a comunidade onde está inserida. Do contrário ela perde o direito e a credencial para exercer a missão.

 

IX- O PREÇO DA EVANGELIZAÇÃO.

o preço é alto para que se tenha uma autêntica prática missionária. Custa grandes renúncias, mudanças dolorosas e opções radicais. A igreja que busca facilidades fica fora dos limites da ação de Deus. Jesus Cristo, o missionário, seus apóstolos e discípulos jamais tiveram facilidades em sua jornada. A igreja que busca facilidades tornar-se-á inexpressivvel e insulsa. Não há evangelização sem cruz. Deve-se pagar alto preço por aquilo tem alto valor.

 

X- OPERAÇÃO

Operação sobrenatural. A evangelização é uma intervenção sobrenatural. É uma cirurgia espiritual que passa pela dinâmica do Espírito Santo. Todas as vezes que a igreja trabalha sob a estratégia do Espírito faz tremer as fortalezas do diabo e expande as fronteiras do reino de Deus. Sempre há festa na igreja e no céu que evangeliza e busaca  mais uma ovelha nova pelo nascimento espiritual. “Se não resgatarmos os que estão na rota do inferno, precisamos resgatar-nos a nós mesmos” ( Reinhard Bonnke).  Com unção e diligência faremos o melhor. (2 Tm 2.15). “Até que se tenha esta unção, todo o resto é presunção”( R. bonnke). A unção tira a rotina religiosa pelo sopro do Espírito Santo. Se faltar óleo no cárter, o motor funde. Se faltar óleo na igreja, tudo quanto ela fizer terá sabor de derrotas. A unção lubrifica “as juntas e medulas” e dinamiza todo o sistema eclesial.

 

CONCLUSÃO

A paz bíblica (shalom), a reconciliação de todos os homens e por meio de Jesus Cristo, que é Senhor de tudo ou não é Senhor de nada. Ela não faz concessão ao seu discipulado. Entrementes, não se pode ”servir a dois senhores”. A evangelização é um processo permanente no qual somos transformados uma e outra vez, a Deus e ao próximo, sendo uma porta aberta para a renovação, reconciliação, crescimento e busca de maturidade cristã.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O JOVEM MAIS BELO – ABSALÃO

Absalão, em hebraico, אַבְשָלוֹם . Significado: Meu pai é paz. Ler os textos II Samuel 3.1-5; 13.21-29; 14.24-33; 15.1-12; 18.9-17 e 18.33 A Bíblia nomeia Absalão como o terceiro filho de Davi cuja mãe era Maaca. Havia muita crise relacional na família real. Cada filho nascia de uma mulher diferente. Infelizmente, esta anomalia social está acontecendo em nossa sociedade. Em 2 Sm 14.25 e 26, diz que não havia, em Israel, homem mais belo e formoso do que Absalão. Desde a planta dos pés até a cabeça, não havia defeito algum. Não havia academia de fisiculturismo. Ele não era ‘bombado,’ mas tinha o corpo sarado.

VARRENDO A CASA

(Lc  15.8-10) Modernização. Surgem meios modernos para fazer a limpeza, mas a vassoura continua sendo muito útil. Há milhões  de livros, mas a Bíblia é única. Há duas razões para se varrer a casa: varrer para manter a casa limpa higienizada. Ao amanhecer o dia inicia-se a tarefa. Varre-se para tirar o cisco e procurar o que foi perdido .  Alguém apaga as lâmpadas. A escuridão domina, assim como as pessoas sem Cristo. Estão nas trevas.

O jovem mais belo e mais bem sarado

Absalão, em hebraico, אַבְשָלוֹם. Significado: Meu pai é paz. Leia II Samuel 3.1-5; 13.21-29; 14.24-33; 15.1-12; 18.9-17 e 18.33 A Bíblia nomeia Absalão, em  hebraico, אַבְשָלוֹם como o terceiro  filho  de  Davi  cuja mãe era Maaca. Havia uma grande desordem na  família  real.  Cada  filho  nascia  de uma mulher diferente. Infelizmente, esta anomalia social está acontecendo em muitas regiões do nosso País. Em II Sm 14.25,26, diz que não havia em  Israel  homem  mais belo e formoso do que Absalão. 

ESPIRITO, ALMA E CORPO – DOUTRINA FUNDAMENTAL

“E O PRÓPRIO DEUS DE PAZ VOS SANTIFIQUE COMPLETAMENTE; E O VOSSO ESPÍRITO, ALMA E CORPO SEJAM PLENAMENTE CONSERVADOS IRREPREENSÍVEIS PARA VINDA DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO"  1 Ts 5.23 "POIS A PALAVRA É VIVA E EFICAZ, E MAIS CORTANTE DO QUE QUALQUER ESPADA DE DOIS GUMES, E PENETRA ATÉ AO PONTO DE DIVIDIR ALMA E ESPÍRITO, JUNTAS E MEDULAS, E É APTA PARA DISCERNIR OS PENSAMENTOS E INTENÇÕES DO CORAÇÃO”  Hb 4.12 FUNÇÕES RESPECTIVAS DO ESPÍRITO, ALMA E CORPO